BIBLIOTECAS DAS ESCOLAS DE MONTE GORDO/SANTO ANTÓNIO

25
Set 08

 O mundo actual

 

À deriva no vasto mundo das águas

Atracção fatal (a Antárctida indecisa: Pólo Norte...Pólo Sul)

Rodopiando à volta da Europa

De mãos dadas, enfim

 

 

Do uno se fez a diversidade

 

"Planisférios Mentais" construídos pelos alunos do 6ºA sem a ajuda de qualquer "muleta" visual. Das várias interpretações do mundo  montou-se uma série que nos transporta à teoria da tectónica das placas e à deriva dos continentes. Claro que os "mais antigos" são os pior conseguidos. Uma amálgama de continentes aleatoriamente distribuídos. No entanto,  para a montagem que aqui deixamos são fantásticos e serviram como suporte para uma leve abordagem da história da Terra e da deriva permanente das grandes massas continentais.

 

publicado por bibliocentro às 10:44
sinto-me:
música: Música das estrelas

17
Set 08

 

Pois é. Já tardávamos. Mas o começo do novo ano é sempre tão trabalhoso que só agora apareceu um tempinho para emergirmos do estio.

 

Para vos adoçar este novo recomeço,  deixo-vos um pequeno excerto do livro O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry:

 

     " A raposa calou-se e ficou a olhar para o principezinho durante muito tempo.

     - Se fazes favor...Cativa-me! - acabou finalmente por pedir.

     - Eu bem gostava - respondeu o principezinho, - mas não tenho muito tempo. Tenho amigos para descobrir e uma data de coisas para conhecer...

     - Só conhecemos o que o que cativamos - disse a raposa. - Os homens deixaram de ser amigos. Se queres um amigo, cativa-me!

     - E tenho de fazer o quê? - disse o principezinho.

     - Tens de ter muita paciência. Primeiro, sentas-te longe de mim, assim, na relva. Eu olho para ti pelo canto do olho e tu não dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas podes-te sentar cada dia um bocadinho mais perto...

     O principezinho voltou no dia seguinte.

     - Era melhor teres vindo à mesma hora - disse a raposa. - Por exemplo, se vieres às quatro horas, às três, já eu começo a estar feliz. E quanto mais perto for da hora, mais feliz me sinto. Às quatro em ponto hei-de estar toda agitada e toda inquieta:: fico a conhecer o preço da felicidade! Mas se chegares a uma hora qualquer, eu nunca vou saber a que horas hei-de começar a arranjar o meu coração, a vesti-lo, a pô-lo bonito... Precisamos de rituais."

 

 Sobre o desaparecimento trágico do autor do principezinho:

 

Em 31 de julho de 1944, Saint-Exupéry descolou da ilha de Córsega  num Lockheed Lightning P-38 para um vôo de reconhecimento; ele era um dos vários pilotos franceses que auxiliavam o esforço de guerra americano. Saint-Exupéry nunca voltou, e ao longo dos anos várias teorias surgiram: a de que tinha sido abatido, perdido o controle de seu avião, até mesmo cometido suicídio.

A primeira pista surgiu em Setembro de 1998, quando pescadores da cidade portuária de Marselha no Mediterrâneo "pescaram" uma pulseira prateada nas suas redes. Ela continha os nomes de Saint-Exupéry e a da sua editora de Nova York. Outras buscas feitas por mergulhadores revelaram os destroços altamente danificados de seu avião, apesar do corpo do piloto nunca ter sido encontrado.

 

 

BOM ANO DE AULAS! CATIVEM,  DEIXEM-SE CATIVAR  E ENTREM NA MÁGICA  AVENTURA DE APRENDER E ENSINAR!

 

 

publicado por bibliocentro às 10:35
sinto-me:

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
18
19
20

21
22
23
24
26
27

28
29
30


logotipo
à procura do tempo perdido
António Aleixo
E vós que do vosso império prometeis um mundo novo calai-vos que pode o povo q`rer um mundo novo a sério.
visitas
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO