BIBLIOTECAS DAS ESCOLAS DE MONTE GORDO/SANTO ANTÓNIO

27
Mai 10

 

Depois de um longo tempo de ausência  motivada por incontornáveis e variados trabalhos, no âmbito da nossa vida escolar, cá estamos, mais uma vez, para vos ir dando conta do que de mais relevante se vai passando na nossa Biblioteca, na Nossa Escola e na nossa comunidade escolar.

 

Para assinalarmos a data mágica do 25 de Abril de 1974, tivemos na Escola o professor Hugo Cavaco. Numa organização do Departamento de Ciências Sociais e Humanas, com a colaboração da BECRE, pudemos contar com um dos mais profícuos e brilhantes investigadores da História e da Etno-Sociologia do Algarve,em particular deste cantinho do Sotavento algarvio. Para além do trabalho ciclópico que tem desenvolvido no campo da investigação científica, Hugo Cavaco é um homem que tem um imenso prazer em partilhar o seu saber (que vai fazendo vir à luz a partir dos obscuros e poeirentos estratos das fontes históricas) com os outros e de o comunicar de uma forma aberta e dialogante, cativando as plateias a que se dirige, desde um grupo de amigos, a um pequeno auditório com alunos do ensino básico, ou uma cátedra universitária. Foi, por isso um imenso privilégio podermos contar com a sua presença na nossa Escola: um momento de magia para comemorar uma data mágica...

 

publicado por bibliocentro às 10:43
sinto-me:
música: Grândola Vila Morena

08
Jan 10

COMPOSITOR DO MÊS

 O  mês de Janeiro será o mês de Mozart na nossa Biblioteca. Durante estes dias poderemos aqui ver a exposição sobre um dos maiores génios que a humanidade conheceu,  e ouvir, tranquilamente, a sua música.

 

Compositor austríaco, Wolfgang Amadeus Mozart, filho de Leopold Mozart, nasceu em Salzburgo, a 27 de Janeiro de 1756. Desde cedo, o jovem Amadeus revelou ter excepcionais capacidades musicais: compôs, pela primeira vez, aos cinco anos de idade e, um ano mais tarde, foi convidado a tocar perante a imperatriz da Aústria. O pai, apercebendo-se do talento prodigioso do filho e da possibilidade de com ele trazer proventos até então inacessíveis à família, decidiu partir numa digressão que os levou a Paris e a Londres. A genialidade precoce de Mozart espantou audiências, sendo-lhe concedido o privilégio de tocar para as famílias reais de França e Inglaterra. Foi também nesta fase que começaram a ser publicadas as suas obras e que escreveu as primeiras sinfonias. A família Mozart só regressou Salzburgo em 1766. Contudo, as viagens ao resto da Europa aconteciam com alguma regularidade.
Tinha um salário razoável e o compromisso de escrever música para os bailes da corte austríaca. No entanto, depressa esbanjou a prosperidade financeira, com uma vida desregrada de desperdício. Casou em 1782 com Constanze Weber, a irmã mais nova de uma outra paixão antiga.

Morreu a 5 de Dezembro de 1791, aos 35 anos, em Viena.
 

Principais Obras:
Sinfonias
Sinfonia n°35, Haffner - k.385 (1782)
Sinfonia n° 36, Linz - k.425 (1783)

Sinfonia n° 39 - k.543 (1788)
Sinfonia n°40 - k.550 (1788)
Sinfonia n° 41, Júpiter - k.551 (1788)


Óperas
O Rapto do Serralho - k.384 (1782)
As Bodas de Fígaro - k.492 (1786)
Don Giovanni - k.527 (1787)
Cosi fan Tutte - k. 588 (1790)
A Flauta Mágica - k.620 (1791)
Concertos
Violino - k.216 (1775)
Piano - k.271 (1777)
Flauta e Harpa - k. 299/297c (1778)
Clarinete - k.622 (1791)

Oratórios
La Betulia Liberata - k.118/74c (1771)
Davidde Penitente - k.469 (1785)
Serenatas
Serenata Haffner - k.250 (1776)
Serenata conhecida como Eine Kleine Nachtmusik - k. 525 (1787)
Música de câmara
Seis quartetos para cordas dedicados a Haydn - k.387 (1782)
Quinteto de Cordas - k.515 (1787)
Adágio e Fuga - k.546 (1788)
Música instrumental
Sonata para violino - k.454 (1784)
Sonata para piano - k.526 (1787)
Música Sacra
Missa da Coroação - k.317 (1779)
Grande Missa em Dó Menor - k.427 (1783)
Réquiem - k.626 (inacabada -1791)

 

 O menino prodígio

publicado por bibliocentro às 10:31
sinto-me:
música: Mozart - Symphony N41 K551 -Karl Bohm

18
Dez 09

É uma das actividades mais acarinhadas pela BECRE e uma das mais ternurentas. A Hora do Conto continua a envolver e a fazer sonhar dezenas de crianças, ao longo do ano. Actividade desenvolvida em parceria com a Biblioteca Municipal Vicente Campinas  e a IPSS  "A Cegonha", tornou-se uma prática de sucesso que muito nos orgulha. De tão regular e tão embutida no "ADN" da Biblioteca, às vezes esquecemo-nos de lhe dar o devido destaque e valor. Nesta quadra natalícia, aqui vos deixamos o testemunho da importância que a leitura tem para as crianças.

 

 

 O professor Mario Rolla dando o "aquecimento"

 Todos no cantinho das palavras

 Suspense em cima e ... , em baixo, abraço espontâneo (e merecedor) à contadora de histórias

 

Ah, com o entusiasmo, faltou-me falar do conto deste dia... era o ....

publicado por bibliocentro às 09:38
sinto-me:

03
Jun 09

 

Atravessando o maior deserto do mundo, o Sahara, correndo de Sul para Norte, o Nilo, o maior rio do mundo,  transporta as águas das copiosas chuvas da África equatorial até ao Mar Mediterrâneo.

 Água no deserto é sinónimo de vida e esta corrente vital, serpenteando no deserto, sempre se revelou como um cadinho civilizacional. O mítico Nilo está associado a uma das mais fantásticas aventuras do engenho humano: a civilização egípcia. O "Antigo Egipto".

 

Pirâmides de Gisé,  Esfinge, Aton, Osíris, Tebas, Faraó, Ramsés, Tutankhamon, Nfetrtiti, hieróglifos, papiro e; mais tarde, Alexandre  Magno, Cleópatra, Biblioteca de Alexandria, entre muitos, muitos, outros, são palavras e nomes que ecoam nos tempos e povoam as memórias da extraordinária viagem do homem, sobretudo da civilização ocidental.

 

Quando se diz que se o nariz de Cleópatra tivesse sido diferente, a História teria sido outra, imaginem o que teria sido da História sem a civilização egípcia...

 

publicado por bibliocentro às 10:34
sinto-me:

30
Abr 09

Como não poderia deixar de acontecer, a BE/CRE, mais uma vez, comemorou o 25 de Abril com entusiasmo. Associando-se ao Departamento de Ciências Humanas e Sociais, ao Departamento de Expressões e ao Instituto Português da Juventude (delegação regional de Faro), na organização de  duas exposições: "0 Figura", um conjunto de 34 telas pintadas por jovens e que têm como tema o "25 de Abril" ( em parceria com o IPJ) e "Cartazes de Abril", elaborados pelos alunos do 6ºA e que contaram com a colaboração preciosa das professoras Armanda Bryton e Fernanda Ribeiro do Departamento de Expressões.

 

Estas exposições e o relembrar o 25 de Abril não são uma obrigação que se cumpre, ritualmente, todos os anos. Constituem momentos privilegiados para reflectir sobre temas que parecem adormecidos nas complexas sociedades modernas. Sociedades globalizadas onde as novas tecnologias nos isolam e aos mesmo tempo aproximam, tornando os conceitos de liberdade e democracia difusos e irreais. Como se de um mundo virtual se tratasse...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

25 DE ABRIL

 

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

 

Sophia de Mello Breyner Andresen

 

 

publicado por bibliocentro às 11:10
sinto-me:
música: Grândola Vila Morena

21
Jan 09

 

As aventuras espaciais ainda agora começaram. Há cerca de meio século, o russo Yuri Gagarine é o primeiro homem a entrar em órbitra do nosso planeta. Há pouco mais de três décadas, o americano Neil Armstrong dá o primeiro passo do homem na Lua  e diz a célebre frase: "Este é um pequeno passo para um homem mas um passo gigantesco para a humanidade". Inicia-se uma corrida dramática entre astronautas americanos e cosmonautas russos pela conquista do espaço.

Esta corrida faz-nos recuar cinco séculos atrás às primeiras viagens que portugueses e espanhóis empreenderam na descoberta dos mares "tenebrosos" e "sem fim". Descobrindo o encoberto e revelando-o. Dando a conhecer "novos mundos ao mundo".

Como se dizia no início, estamos nos primórdios da corrida espacial. Como nos tempos das primeiras "descobertas" de "quatrocento", enigmas, perigos e barreiras incontornáveis interpõem-se entre os sonhos da humanidade e as aventuras espaciais possíveis. Como no tempo dos argonautas de antanho essas dificuldades irão sendo ultrapassadas. A tenacidade humana e os recursos tecnológicos, cada vez mais sofisticados postos ao serviço da humanidade pela ciência, levar-nos-ão a viajar no espaço e a construir colónias em outros planetas, como  só na ficção científica hoje conseguimos imaginar.

 

Astronomia - ciência que estuda os astros e o espaço interestelar.

 

Astrologia - falsa ciência (pseudociência) que usa os dados da astronomia para enganar incautos.

 

Carl Sagan - grande astrofísico americano que contribuiu de forma significativa através dos seu livros para a divulgação da Astronomia. O seu livro "Cosmos" e a série televisiva nele baseada, são documentos únicos que chegaram a milhares de leitores e telespectadores.

 

publicado por bibliocentro às 10:40
sinto-me:
música: Assim Falava Zaratrusta _ Richard Wagner

20
Nov 08

 

 

Aqui deixamos o registo da passagem da simpática D. Vaca Leite de Manteiga e Queijo, marquesa de iogurte, pela nossa BE/CRE. O feliz evento teve lugar pelos dias que se seguiram ao 16 de Outubro,  "Dia Mundial da Alimentação", e deixou todos com vontade de passar a ter uma alimentação saudável e equilibrada.

D. Vaca Leite de Manteiga e Queijo, marquesa de iogurte, depois de uma alocução brilhante em oratória e sapiência, despediu-se desejando um bom ano a toda a comunidade escolar, sobretudo no campo alimentar (até rima e tudo, o que não é de estranhar: D. Vaca, para  agarrar as audiências, usa-as com regularidade e mestria).

 

PS: trabalho realizado pelas turmas A e B do 6ºano, na disciplina de Ciências da Natureza

publicado por bibliocentro às 11:22
sinto-me:

05
Nov 08

 

 

 

HORA DO CONTO

 

"O CASTELO VERDE"

 

 

 

DE MARIA ISABEL SOARES

 

Com a colaboração da Biblioteca Municipal de VRSA

 

10.30 h - "A Cegonha"

 

11.00 h - 3º H

 

11 de Novembro de 2008

 

publicado por bibliocentro às 10:35
sinto-me:

10
Abr 08
    Animais falantes à solta na Biblioteca!

Leitura de Fábulas de La Fontaine pelos alunos do 5ºA . Os ouvintes são encarregados de educação, uma turma do 3º ano, uma do 6º ano (convidados pelos leitores) e alunos e professores que foram atraídos pelas "vozes dos animais..."


Os leitores antes das leituras, alegres e descontraídos ...


Dando uma última olhada às clássicas palavras de LA FONTAINE ...


Mães "babadas"( e com toda a razão) bebem as palavras à solta...


Ouçam-se as vozes....


Esperando a vez com ansiedade...


Reparem na cegonha em pântano pintado pela aluna...


Um bigode assim ajuda bastante na insolente e esganiçada voz da formiga trabalhadora...


Quem prende os ouvintes? A abelhinha ou os alunos ?


Ouvintes envolvidos nas aventuras de insectos, aves, felinos e outros animais que saltam das páginas de La Fontaine ...
publicado por bibliocentro às 10:46
sinto-me:
música: A Formiga no Carreiro...

13
Abr 07

0000xhxt

 

Apresentação do trabalho vencedor do concurso para logotipo da BE CRE . A  cerimónia decorreu no ano lectivo anterior, mas só agora foi possível disponibilizar a fotografia. Como acontecimento de importância relevante para a "refundação" da BE CRE , resolvemos, mesmo assim, registá-lo neste espaço de divulgação. Também não será por demais salientar que a vencedora do concurso para o logotipo , foi a aluna Ana Carolina, que verá assim o seu nome ligado à  nossa Biblioteca pelos anos vindouros.

 

PS. Não é possível referir com rigor o autor da fotografia, mas não andaremos longe se adiantarmos que aqui deve haver "dedo" do nosso colega Mario Rolla .

 

publicado por bibliocentro às 11:11
sinto-me:
música: Parabéns a você!

Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


logotipo
à procura do tempo perdido
António Aleixo
E vós que do vosso império prometeis um mundo novo calai-vos que pode o povo q`rer um mundo novo a sério.
visitas
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO