BIBLIOTECAS DAS ESCOLAS DE MONTE GORDO/SANTO ANTÓNIO

18
Mar 10

 

 

O encantamento continua até o príncipe ou a princesa aparecerem....

publicado por bibliocentro às 11:27
sinto-me:

12
Mar 10

 

 

 Na Semana da Leitura do ano lectivo de 2009/2010, como já o tínhamos previsto, as palavras, as histórias (e as estórias), os autores, os editores, os gráficos e, até, os lenhadores (não nos podemos esquecer que o suporte que acolhe as mágicas palavras, pelo menos desde Gutemberg, começa aqui: na morte da árvore que explode em vidas e histórias nas páginas de um livro) estariam à solta na nossa Escola, possuindo os que nela habitam e transportam consigo.

O testemunho de um desses momentos mágicos, vamos deixá-lo aqui, quase sem comentários. Palavras de poetas portugueses cantados por duas alunas, acompanhadas instrumentalmente por dois professores e seguidas por meia centena de alunos e alguns professores  encantados ( no sentido das histórias de encantar) pela magia da fusão entre a poesia e a música.

 

Organização da BECRE

Coordenação da Professora Bibliotecária Francisca Rolla

 2 de Março de 2010
 
 

 

Poemas cantados por: Nádia Catarro e Mar Gonzalez

 

Acompanhamento musical:José Rosa e Óscar Janeiro

 

 

Temas e palavras de :

“Verdes são os campos” – Luís de Camões

“Vejam bem” – Zeca Afonso

“No teu poema” – José Luís Tinoco

“Ser poeta” – Florbela Espanca

 

publicado por bibliocentro às 10:34
sinto-me:
música: Verdes são os anos

08
Jan 10

COMPOSITOR DO MÊS

 O  mês de Janeiro será o mês de Mozart na nossa Biblioteca. Durante estes dias poderemos aqui ver a exposição sobre um dos maiores génios que a humanidade conheceu,  e ouvir, tranquilamente, a sua música.

 

Compositor austríaco, Wolfgang Amadeus Mozart, filho de Leopold Mozart, nasceu em Salzburgo, a 27 de Janeiro de 1756. Desde cedo, o jovem Amadeus revelou ter excepcionais capacidades musicais: compôs, pela primeira vez, aos cinco anos de idade e, um ano mais tarde, foi convidado a tocar perante a imperatriz da Aústria. O pai, apercebendo-se do talento prodigioso do filho e da possibilidade de com ele trazer proventos até então inacessíveis à família, decidiu partir numa digressão que os levou a Paris e a Londres. A genialidade precoce de Mozart espantou audiências, sendo-lhe concedido o privilégio de tocar para as famílias reais de França e Inglaterra. Foi também nesta fase que começaram a ser publicadas as suas obras e que escreveu as primeiras sinfonias. A família Mozart só regressou Salzburgo em 1766. Contudo, as viagens ao resto da Europa aconteciam com alguma regularidade.
Tinha um salário razoável e o compromisso de escrever música para os bailes da corte austríaca. No entanto, depressa esbanjou a prosperidade financeira, com uma vida desregrada de desperdício. Casou em 1782 com Constanze Weber, a irmã mais nova de uma outra paixão antiga.

Morreu a 5 de Dezembro de 1791, aos 35 anos, em Viena.
 

Principais Obras:
Sinfonias
Sinfonia n°35, Haffner - k.385 (1782)
Sinfonia n° 36, Linz - k.425 (1783)

Sinfonia n° 39 - k.543 (1788)
Sinfonia n°40 - k.550 (1788)
Sinfonia n° 41, Júpiter - k.551 (1788)


Óperas
O Rapto do Serralho - k.384 (1782)
As Bodas de Fígaro - k.492 (1786)
Don Giovanni - k.527 (1787)
Cosi fan Tutte - k. 588 (1790)
A Flauta Mágica - k.620 (1791)
Concertos
Violino - k.216 (1775)
Piano - k.271 (1777)
Flauta e Harpa - k. 299/297c (1778)
Clarinete - k.622 (1791)

Oratórios
La Betulia Liberata - k.118/74c (1771)
Davidde Penitente - k.469 (1785)
Serenatas
Serenata Haffner - k.250 (1776)
Serenata conhecida como Eine Kleine Nachtmusik - k. 525 (1787)
Música de câmara
Seis quartetos para cordas dedicados a Haydn - k.387 (1782)
Quinteto de Cordas - k.515 (1787)
Adágio e Fuga - k.546 (1788)
Música instrumental
Sonata para violino - k.454 (1784)
Sonata para piano - k.526 (1787)
Música Sacra
Missa da Coroação - k.317 (1779)
Grande Missa em Dó Menor - k.427 (1783)
Réquiem - k.626 (inacabada -1791)

 

 O menino prodígio

publicado por bibliocentro às 10:31
sinto-me:
música: Mozart - Symphony N41 K551 -Karl Bohm

25
Out 09

 

 

Não se esqueçam! Amanhã é o Dia Internacional das Bibliotecas Escolares.

publicado por bibliocentro às 19:05
sinto-me: Vagabundo das palavras
música: Baile na Biblioteca - Cabeças no ar

04
Abr 09

 

Ahmed Tahiri, professor catedrático de História Medieval, apresentou hoje o livro - Cacela e o seu poeta Ibn Darraj al-Qastalli, na História e Literatura do al-Andalus - resultado da sua investigação sobre a vida e obra deste poeta, natural de Cacela.

A apresentação do livro decorreu  no cemitério antigo de Cacela Velha e do programa constou ainda  uma inauguração da toponímia de Cacela Velha - poetas que nasceram ou escreveram sobre Cacela, tais como Sophia de M. B. Andresen, Eugénio de Andrade, Teresa Rita Lopes (presente no acto)-, leitura de poemas de Ibn Darraj, concerto de música andalusina e flamenco.
 


Chamam-te, escuta a sua voz.
A vida sorri-te, bebe desse vinho e saboreia-o,
é promessa de uma nova Primavera que chega.
É flor que atrai
com sua fragrância de almíscar,
bela e sensual.
Do seu caule de esmeralda libertam-se
folhas de prata e pétalas de ouro
que se entrelaçam como filamentos de seda
e se erguem como um cálice para te brindar
num inesgotável inebriamento.

 

ps. Um enviado especial da BE/CRE esteve presente e fez a reportagem.

publicado por bibliocentro às 21:53

01
Out 08
Nabuco de Verdi (coro dos escravos hebreus) Curiosidade: Verdi era tão querido em Itália (e no resto do mundo) que, enquanto agonizava no leito de morte - bem velhinho,os seus concidadãos cobriram a sua rua de palhas para que o barulho dos cascos dos cavalos não incomodasse o adormecer eterno do símbolo da unificação de Itália. O seu nome fora utilizado como acrónimo pelos garibaldistas na luta clandestina. Viva VERDI: Vítor Emanuel Rei de Itália.
publicado por bibliocentro às 09:33
sinto-me:

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


logotipo
à procura do tempo perdido
António Aleixo
E vós que do vosso império prometeis um mundo novo calai-vos que pode o povo q`rer um mundo novo a sério.
visitas
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO