BIBLIOTECAS DAS ESCOLAS DE MONTE GORDO/SANTO ANTÓNIO

21
Abr 15

Os alunos do 4.ºG e H também participaram nos SINÓNIMOS DE LEITURA promovidos pela Biblioteca Municipal Vicente Campinas, numa original, divertida, interactiva e pedagógica encenação do conto "Nasredin" efectuada pelo grupo TEATRO ALTERNATIVO. 

DSC05022.JPG

DSC05024.JPG

DSC05026.JPG

DSC05027.JPG

DSC05028.JPG

DSC05030.JPG

DSC05031.JPG

DSC05035.JPG

DSC05036.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por bibliocentro às 12:47

27
Mar 09

ROMEIRO, ROMEIRO ... QUEM ÉS TU?

NINGUÉM!

publicado por bibliocentro às 15:30
sinto-me:

11
Jun 08

José Fanha estará na nossa Escola na terça-feira, dia 17, para conversar com os nossos alunos. Poeta e declamador apaixonado irá "incendiar" o auditório com entusiasmo e palavras...

 

 

 

 

José Fanha (1951)

 

Nasceu em Lisboa em 19/02/51.
Arquitecto não praticante. Professor do Ensino Secundário. É actualmente, a tempo inteiro, guionista para televisão e cinema.
Poeta, declamador, autor de letras para canções e de histórias para crianças, autor de textos para televisão, para rádio e para teatro. Pintor nas horas vagas.
Entre muitas outras aventuras, integrou em 69/70 o grupo de teatro da Associação de Estudantes do Instituto Superior Técnico, foi fundador em 73 e animador do grupo de teatro “Lídia a mulher tatuada e os seus actores amestrados”, participou em 77 no concurso de televisão “ A visita da Cornélia”, colaborou nos programas de rádio “Pão com manteiga” e “Uma vez por semana”, tem colaborado periódicamente desde 79 com João Lourenço e Vera SanPayo Lemos na adaptação de inúmeros textos teatrais desde “Baal” até à “Ópera dos três vinténs”, ambos de Bertolt Brecht.

 


In: Eu sou português aqui - Obras de José Fanha
Ulmeiro - 1995

 

 

 http://zefanha.blogspot.com/

 

publicado por bibliocentro às 09:55
sinto-me:

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


logotipo
à procura do tempo perdido
António Aleixo
E vós que do vosso império prometeis um mundo novo calai-vos que pode o povo q`rer um mundo novo a sério.
visitas
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO